segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Só eu sei o que me vai na alma.

Vi os três jogos em que estiveram presentes as três equipas chamadas … grandes.

Duas ganharam e uma empatou. A que empatou tinha de ser aquela, a única, que eu queria que ganhasse. Malvada ironia das ironias.

Há três anos a esta parte que o Benfica começa o campeonato da pior forma. Não ganhando.
Há quatro anos, começou a ganhar(Beira-Mar) e foi campeão. Não é que acredite em bruxas, mas que as ai, ai.

No Benfica, entrou novo treinador e conjunto da equipa técnica, entraram jogadores rotulados de craques – que o são mesmo – mas o resultado inicial foi o mesmo. Decepcionante para o coração e desejo benfiquista.

A pré-época feita de muitas e exageradas experiências tornou-me céptico em principio e talvez exageradamente ilusório no que concerne aos efeitos imediatos.

O Benfica, não foi melhor nem pior aos anos anteriores. Foi igual. Amorfos, falta de ambição, jogar como se um frete se tratasse, enfim, sem CHAMA.

O Benfica deveria respeitar o Rio Ave, mas jamais temê-lo. O Rio Ave até nem jogou muito, até porque é uma equipa com uma média de idades bastante alta, mas qual raio do além, assustou o glorioso.

O Benfica até se pode queixar da lesão prematura do Carlos Martins, que era até à altura, o mais rematador, do azar da bola na trave, saída da cabeça do Yebda, do penalty claríssimo sobre o Aimar ou da falha deste, quando em situação privilegiada só com o guarda redes pela frente, não teve engenho e arte para marcar. É um facto, mas também uma conversa errada de convencimento próprio perante o fracasso. E o empate, na minha opinião, foi um fracasso.

Não entendo, eu que sou um treinador de bancada, a razão de, contra uma equipa que iria super-povoar a zona da defesa, se jogou, em principio. Só com o Óscar Cardozo na frente de ataque.
No banco estavam Nuno Gomes e Makukula.

Não jogou a partir do intervalo com o Nuno Gomes mantendo o Óscar Cardoso? Jogou.
Continuo a pensar que o Aimar está a jogar fora do sitio certo. Ontem, se era um falso ponta de lança, não deveria ter rematado mais?

Não me passa pela cabeça que o Benfica perca no Sábado com os andrades.
Até porque já jogarão Reyes e Di Maria, o que alargará a frente de ataque, a tornará mais forte e incisiva.
Mas uma coisa é certa. Se não ganharmos, lá aparecerão no céu as tais nuvens escuras que foram as últimas três épocas. Se perdermos então, começará tudo de novo, cairá a esperança, vencerá o desânimo e o desespero. É que tudo, num cenário adjacente ao jogo de ontem, é possível e natural de se pensar.

Caso o Benfica ganhe aos andrades – como desejo e espero - esquece-se o tropeção inicial e a própria mente fará dissipar essas nuvens, até porque se ganharmos ficaremos à frente do Portoregional, o que é sempre um ponto de motivação.

Os benfiquistas são pessoas crentes e pacientes. Mas tudo - como o amor – só se constrói, acalma, motiva, estabiliza, com coisas boas. As más, só destroem o ego mais crente e derruba as “paredes” mais fortes que possam existir.
Que as forças nunca abandonem o meu pobre coração sofredor.

Sábado será outro dia. Será outro jogo. Que a esperança do antes, seja a felicidade do depois.

Fiquem bem

Sem comentários:

Publicar um comentário

Todos os comentários menos respeitosos para com este blogue benfiquista e/ou para com outros comentadores, serão eliminados, sem prévio aviso. Obrigado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...