terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Momentos Históricos I


Dou hoje início a uma série de tópicos para colocar em prática uma ideia que germinava já há algum tempo na minha cabeça. Apesar de não ser inovadora pois outros houve que já o fizeram antes de mim, o assunto é e será sempre atual e por isso sempre relevante.

Peço desde já a ajuda das autenticas enciclopédias do Benfica que pululam por essa Gloriosaesfera fora, para o caso de cometer algum erro nas informações que vou transcrever.

Vamos então ao primeiro de alguns momentos históricos da nossa Gloriosa História:

O célebre Benfica-Bordéus da finalíssima da Taça Latina de 1950 foi disputado a 18 de Junho de 1950 no Estádio Nacional.

Aqui fica o registo do onze escolhido pelo inglês Ted Smith para essa tarde inesquecível: Bastos; Jacinto Marques e Joaquim Fernandes; Moreira, Félix e José da Costa; Corona, Arsénio, Julinho, Rogério e Rosário














No mês de Junho o Benfica trouxe para Portugal o primeiro troféu internacional conquistado pelo futebol português: a Taça Latina.

Em vésperas do início do Mundial brasileiro, cuja participação Portugal recusou, Benfica, Lazio, Atlético de Madrid e Bordéus disputaram um quadrangular que teve o Estádio Nacional como palco.

Os portugueses venceram os italianos por 3-0 (golos de Corona, Rogério de Carvalho e Arsénio). Vitória quase tão indiscutível quanto o triunfo dos franceses sobre o Atlético de Madrid (4-2). No dia seguinte os espanhóis garantiram o terceiro lugar, batendo a Lazio por 2-1, e o Benfica iniciava a longa odisseia que havia de levá-lo à conquista da taça.

Os encarnados empataram 3-3 com os franceses, evitando a derrota, já na segunda parte, através de um golo de Pascoal (Arsénio e Corona apontaram os dois primeiros). O prolongamento de nada serviu.

Uma semana depois, no dia 18 de Junho, teve lugar a finalíssima, que iria transformar-se num jogo sofrido e dramático. O Bordéus adiantou-se cedo no marcador e o Benfica só chegaria à igualdade nos últimos segundos do desafio, através de um golo de Arsénio.

O que se passou depois foi uma verdadeira epopeia. A meia hora suplementar de nada serviu e, no cumprimento dos regulamentos da prova, o jogo prosseguiu nos moldes de morte súbita, com prolongamentos de 10 minutos até se encontrar o vencedor. Passaram-se dois períodos e o resultado manteve-se inalterável.

Rezam as crónicas da altura que muitos nem sequer tinham forças para se mexer. Aos cinco minutos do quarto prolongamento Julinho marcou o golo decisivo. O Benfica conquistava a Taça Latina ao cabo de 265 minutos de jogo com o Bordéus — 120 m do primeiro confronto, 145 m do segundo. Não foi o capitão Jacinto a subir ao alto da tribuna do Jamor. Menos mal que tivesse sido Rogério de Carvalho, o eterno pipi. No fim de contas a taça foi entregue ao único benfiquista daquela equipa que entra na história do futebol português como um dos melhores jogadores de todos os tempos.

Desempenho:
Campeonato da 1ª Divisão: CAMPEÃO
Taça de Portugal: Não se disputou
Taça Latina: VENCEDOR

Resultados do Campeonato Nacional da 1ª Divisão:
Sp. Braga - Benfica 2-3
Benfica - Atlético 4-0
Belenenses - Benfica 1-6
Benfica - Olhanense 5-1
Benfica - Académica 1-1
O Elvas - Benfica 1-0
Benfica - Vit. Guimarães 4-0
Lusitano VRSA - Benfica 2-3
Benfica - Estoril 4-0
Sporting - Benfica 1-2
Benfica - Vit. Setúbal 6-1
FC Porto - Benfica 0-1
Benfica - Covilhã 7-1
Benfica - Sp. Braga 4-2
Atlético - Benfica 1-1
Benfica - Belenenses 1-1
Olhanense - Benfica 1-2
Académica - Benfica 3-4
Benfica - O Elvas 3-1
Vit. Guimarães - Benfica 3-5
Benfica - Lusitano VRSA 4-1
Estoril - Benfica 1-2
Benfica - Sporting 2-3
Vit. Setúbal - Benfica 0-5
Benfica - FC Porto 3-2
Covilhã - Benfica 3-4

Resultados da Taça Latina:
Benfica - Lázio 3-0
Benfica - Bordéus 3-3 (após prolongamento)
Benfica - Bordéus 2-1 (após 2 prolongamentos)

Resumo:
Jogos: 29
Vitórias: 23
Empates: 4
Derrotas: 2
Golos Marcados: 94
Golos Sofridos: 37

Presidente:
Dr. Mário Lampreia de Gusmão Madeira












Funcionário do Governo Civil de Lisboa, foi eleito presidente da Direcção em 29 de Janeiro de 1949, em 4 de Fevereiro de 1950 e em 3 de Março de 1951. Pertenceu ás Comissões Pró-Campo, da Elaboração de Planos, da Angariação de Fundos para o Novo Parque de Jogos e à Comissão de Honra do Novo Parque de Jogos. Como atleta, havia representado o clube na modalidade de pesca desportiva.

Plantel:

Jacinto Marques, Joaquim Fernandes, Moreira, Félix, Rogério "Pipi", Arsénio, Júlio, Francisco Ferreira, Rosário, Rosa, Melão, Corona, Bastos, Gil, Pascoal, José da Costa, Joaquim Teixeira, Contreiras, Gomes, Diamantino, Espírito Santo, Clemente












Treinador:

Ted Smith













Melhor Marcador:

Júlio: 31













Curiosidades:

Esta é uma época marcante para o Benfica e para o próprio futebol português, com a conquista da Taça Latina, percursora da Taça dos Campeões Europeus. Foi a primeira prova internacional ganha por uma equipa portuguesa, após heróica resistência, a avaliar pela necessidade de dois prolongamentos no desempate final (Júlio marcou o golo da vitória aos 134 minutos de jogo.




PS1: Os meus agradecimentos ao Pirinho pela ajuda. Mais um grande Benfiquista!

PS2: Fontes: Gloriosaesfera como é óbvio!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários Anónimos - ou outros - menos respeitosos para com este blogue benfiquista e/ou para com outros comentadores, serão eliminados, sem prévio aviso. Obrigado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...