terça-feira, 20 de setembro de 2011

NO PORTO TEMOS DE VENCER CONTRA A MÁFIA E SISTEMA INSTALADO

O tempo passa lentamente. Mas a minha ideia benfiquista parece que voa. Não quero pensar, mas penso. Não quero sonhar, mas sonho. Não admito que possa ter a frustração de perder no dragay, mas temo que isso aconteça.
Sinto em mim uma mistura de grande confiança e um tremor, qual dor miudinha, quiçá nervosa que me envolve a alma.
Não. Não é falta de confiança na capacidade futebolística, na sua vontade de ganhar, que sei ser apanágio dos nossos jogadores.
Por aí estou plenamente convencido que a vitória será nossa.
Outros factores, tais como, um clima de terror - esta época, parece-me menos activa - provocações aos nossos atletas, uma arbitragem tendenciosa, expulsões, fora de jogo mal assinalados, para o nosso lado, ou seja, toda uma mescla de factores extra futebol, que podem, isoladas ou em conjunto, não nos deixar ganhar, e pior ainda, nos façam perder.
Vamos chegar ao Porto em igualdade pontual. O Benfica está sem qualquer dúvida a jogar melhor que o seu adversário de 6.ª Feira. Temos melhor equipa, melhores jogadores.
A nível de treinadores, reconheço uma capacidade superior, até por ser muito mais experiente, ao Jorge Jesus que ao Vitor Pereira. Apenas espero que não invente.
Sei que vamos jogar fora num ambiente arisco. Mas também sei que no Porto existem milhares de benfiquistas. Se calhar numa percentagem superior aos outros.
Só que, por bairrismo, ou por indole de gente mal formada, diferimos e muito dos adeptos do Porto, pois somos um Povo pacato, ordeiro, que sofremos tantas afrontas e agruras, e somos sempre serenos e humildes.
Se calhar em determinados locais, espaço temporal e afronta a que somos sujeitos, não reagimos de igual forma, o que, porventura, nos castiga.
Inclusive na nossa Catedral, enquanto outros fazem alarde da sua brutalidade, nós porventura por genes, somos o oposto.
Pacíficos quanto baste, não respondendo na mesma moeda, em que somos tratados, regra geral, no Porto.
Quem me conhece sabe que sou um humilde "arrumador" de veículos. Sou totalmente contra qualquer tipo de violência verbal ou física.
No entanto, como humano que sou, revolta-me em todo o meu interior, sermos constantemente vilipendiados na nossa honra, como temos sido ao longo dos últimos anos, e continuarmos serenos quase como se nada fosse connosco.
Na próxima 6.ª Feira temos que ser superiores em tudo, menos na canalhice, brutalidade e voz de rameira.
A haver respostas mais duras terá que ser pelos benfiquistas e NUNCA pelos nossos jogadores.
Esses, têm que estar preparados para jogar futebol, não entrar em diálogo com o árbitro, ser mais fortes mentalmente, pois só assim vamos conseguir ganhar. Caso contrário, não acabamos o jogo com 11 jogadores, e não levaremos de vencido um jogo, em que a nível individual e colectivo, somos melhores.

Vou sofrer eu sei. Mas também estou convencido que vai ser um misto dor/jubilo que me vai fazer gritar bem alto ao mundo a minha alegria em ser benfiquista.
Se jogarmos de igual por igual e perdermos - factor sempre a considerar, embora o não queira admitir - saberei ser benfiquista e reconhecer quem foi melhor, o que não acontecerá caso venhamos a perder por acção da máfia que grassa no futebol, principalmente a favor do clube assumidamente corrupto.
Assim sendo, sei que irei ficar em Paz com o meu Benfica. Os nossos jogadores, acredito, que vão deixar o seu suor e lágrimas sobre o relvado, engrandecendo o Manto Sagrado, fazendo com que, ontem, hoje e sempre, me orgulhe de ser BENFIQUISTA
Com a nossa vontade, querer, garra e chama imensa, ganharemos o jogo, partindo rumo ao título que queremos e merecemos.

FORÇA RAPAZIADA.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários Anónimos - ou outros - menos respeitosos para com este blogue benfiquista e/ou para com outros comentadores, serão eliminados, sem prévio aviso. Obrigado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...