sábado, 30 de maio de 2015

BENFICA :- CONTRA CORRENTES E AGONIAS...

Terminou a época 2014/2015 para o Benfica. Conquistaram-se três troféus dos quatro em disputa. Supertaça, Campeonato, Taça da Liga. Seguem-se as férias, as saídas poucas e as entradas muitas ( para os jornais…).

Segue-se também, embora compreendam, alguns fins-de-semana de autêntico tédio, mal estar, difíceis de passar. É que fim-de-semana sem Benfica não é fim de semana. Isto para quem gosta do Benfica , que são milhões, e para quem o odeia, que são alguns milhares.

Sai Jorge Jesus, ola John, Maxi Pereira, Gaitán, os mais mediáticos para os jornalistas. Já todos devem ter contratos alinhavados, apalavrados, sei lá que mais. Talvez até já tenham férias marcadas para a Rússia, Médio Oriente, Turquia, Inglaterra, regressos a Espanha, entre outros destinos adivinhados e destinados pelos jornalistas desta praça.

Com a saída de jogadores importantes na manobra da equipa - final da última época -, temeram alguns, regozijaram-se muitos outros ( a Norte do País), como se, sobre o Benfica, tivesse caído a maior hecatombe da natureza, da qual, a equipa não conseguiria jamais sair. Eram tempestades anunciadas, ventos fortes, tragédias sicilianas.

Chegou o velho Júlio César que vinha simplesmente apanhar banhos de sol, gozar férias, Talisca que ninguém conhecia mas que de repente até o Especial One ( Mourinho) já trazia debaixo de olho (sic), o velhote Jonas que o Valência não queria, Eliseu outro velho, faziam-se adaptações, Ola John  não rendia, Sílvio com lesão de longa duração, ou seja, o Benfica iria certamente estar muito próximo da descida de divisão, entre outras parvidades.

A verdade é que Jorge Jesus, mais calado que em outras épocas, preparou o exército benfiquista, em formação de quatro frentes – qual estudioso da batalha de Aljubarrota – equipando os seus guerreiros com armadura inflexível, nervos de aço, vontade de vencer indomável, fazendo de um grupo /exército medíocre – para os jornalistas e analistas derrotistas – um autêntico muro de betão, onde as equipas adversárias esbarravam e caiam por terra, cansadas e derrotadas.

Sempre foi dito que o grande objectivo do Benfica era o Bi-campeonato. Não se enganou ninguém. Com uma liga dos campeões menos conseguida, voltaram as criticas sabujas e conversas de café para não as conotar de péssimo mal-dizer, como se tudo tivesse ali acabado. 
O Porto era o maior, grandes jogadores, ia ganhar a Champions League, o campeonato era - para eles - um mero passeio,  não passando o Benfica, de um simples servo a nível nacional, dessa grande potência futebolística. 
Só faltava o jarro com água e uma toalha, para que os jogadores do Glorioso, fossem lavar os pés dos amos de azul e branco. A tudo isto a equipa resistiu. Ventos e marés assolavam – na escrita dos jornalistas – contra a capacidade ganhadora da nossa equipa. 

Esqueceram-se que existem barcos que mesmo de estrutura mais fraca, na opinião de alguns, conseguem por vezes grandes e vitoriosas epopeias, qual grito de vitória, saído da garganta dos mais fortes e afoites. Contra esses ventos e essas negras marés, lutaram os nossos briosos jogadores, equipa técnica e direcção, sócios, simpatizantes, adeptos.

Como a equipa não cedia perante as avalanches mais sombrias, eis que, surgem os catedráticos da sapiência, quais hienas traiçoeiras e carnívoras, a falar de arbitragens adversas para si, e bondosas para o Benfica. Mantos Protectores, Colinhos, ameaças de murros, pagamentos a bruxos, entre outras parvoíces congéneres. Imagino que até rezas, maus-olhados, mezinhas feitas com alhos e bugalhos – bruxo de Fafe – tudo se fez para travar o caminho do glorioso Sport Lisboa e Benfica.

De tudo o que se disse, dois factores são verdadeiros. O Manto Protector e o Colinho. Basta olhar para trás e ver como o Estádio da Luz – bem como em todos os Estádios onde jogava o Benfica -  em cada jogo, se cobria de um Manto Vermelho, qual grito sonoro, no esvoaçar da nossa águia, que nas suas voltas em redor do interior do Estádio, através das câmaras de Tv, que a acompanhavam, mostrava ao MUNDO, esse manto protector, qual colinho dos fiéis adeptos e sócios, que estiveram – e vão estar sempre, podem contar com isso – com a equipa, apoiando, incentivando, puxando para cima, mesmo quando as coisas não estavam a correr como se desejava.

E assim, contra esses ventos e marés, estertores correntes de mal-dizer, conquistou o Benfica três dos quatro troféus em disputa. Quanto à super equipa de que já falei, limitou-se a ver via tv as imagens do nosso sucesso. Contra a competência nada há a fazer.
Silenciem-se os canhões ímpios e aplauda-se quem merece, e quem merece, todos os aplausos do mundo, é o SPORT  LISBOA E BENFICA

VIVA O BENFICA SEMPRE
...........

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Marítimo vs Benfica ( Final da Taça da Liga )

Marítimo 1 - 2 Benfica
.
Árbitro: Carlos Xistra ( AF Castelo Branco )
Árbitros assistentes: Luís Marcelino * Alexandre Freitas.
Árbitro (4.º): Vasco Santos
Delegados: Paulo Renato * António Reis

Transmissão: TVI

Constituição das equipas:

Marítimo: Salin; Briguel, Patrick Bauer, Raul Silva e Rúben Ferreira; Danilo Pereira, Bruno Gallo e Alex Soares; João Diogo, Xavier e Marega.


Suplentes: Wellington (GR), Igor Rossi, Fransérgio, Cristian Alex, Ebinho, Éber Bessa e Fábio Abreu
Marcou: João Diogo, 57m

Benfica: Júlio César, Maxi Pereira, Jardel, Luisão, Eliseu, Samaris, Pizzi, Gaitán, Sulejmani, Jonas e Lima.

Marcou: Jonas, 37m; Ola John, 80m

Ganhámos, estou feliz. Viva o Benfica. Mais um troféu para o nosso museu.
.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Desabafos - Parte III


"Momentos-chave da época? Não gosto de falar disso, mas nós trabalhámos muito. Ouvimos muitas coisas para retirar o nosso mérito, de alguns adversários, mas enquanto uns falavam nós trabalhávamos". - O nosso Capitão Luisão!

*************************************************************************************
A caminho da final da taça da Liga, na próxima sexta-feira, abro novamente o baú das minhas recordações com o propósito de guardar para a posteridade o registo das sensações e percepções que possuo deste campeonato nacional!

Após a obtenção da liderança isolada do Benfica com 3 pontos de avanço, à 5ª Jornada, os sinos tocaram a rebate em diversas paróquias do nosso fute-luso! E logo nessa altura, os candidatos mais fortes a vencerem o título de falsas virgens ofendidas choravam por benefícios arbitrais a seu favor, e pressionavam a arbitragem contra os erros contra si cometidos. Mas aqui neste ponto, há que reconhecer os devidos méritos à mais famosa declaração da Rainha Isabel, aquela cuja grande parte do currículo de 30 anos devia ser apresentado como cadastro, quando disse: Estar sempre a falar de árbitros, além de ridículo, é estúpido. Como há muitos estúpidos, vai-se continuar a falar!" 

No entanto, a estrutura azul e branca não acusou o toque xenófobo do seu presidente, e instruindo o treinador Basco, conhecido pela graça de Lopetegui – agradeço à fortuna e boa educação que me foi dada o acerto no nome do indivíduo – o tema arbitragem nunca caiu em desuso durante o campeonato!

Numa outra linha, os meses de Setembro e Outubro de 2014 foram férteis para a badalada união do Benfica com o fcp na demanda da salvação da Liga Portuguesa de Futebol, após o falhado golpe de assalto ao poder na Liga por uns quantos presidentes de clubes nacionais que marcavam os seus encontros em postos de gasolina! E o ruído aumentou ainda mais com as vitórias do Benfica no campeonato! 

Para além dos motivos supra indicados, acrescento que os únicos lampejos de alegria dos nossos rivais, eram as infelizes derrotas do nosso amado Benfica na Liga dos Campeões! Mas recordo que no Benfica, a tónica do discurso sempre foi a renovação do título de campeão nacional! Contudo, mesmo assim, não faltaram as vozes opinativas sobre tudo e mais alguma sobre o Glorioso, muitas sem qualquer sentido e carregadas de um ódio ao Benfica inexplicável!
.
E apesar do nosso Benfica seguir isolado no campeonato, cantavam-se loas aos dois melhores plantéis de Portugal, a residirem em Alvalade e no Dragão. E recordo-me ainda da felicidade dos nossos adversários com a derrota do nosso clube em Braga, perante o Sporting local daquela região! 

Nessa hora e data, o coro dos antis foi bem afinado, e todos previram a vitória do Porto na deslocação do Benfica à casa dos azuis e brancos! Tirando os imensos benfiquistas que amam o clube do seu coração, não faltaram programas e colunas de opinião a prever uma nova crise do Benfica no campeonato!

           Mas o impensável aconteceu para os fãs do clube da invicta cidade nortenha! Mesmo com a fé inabalável na vitória do Porto por parte dos seus adeptos, é o Benfica que vence o clássico, com dois golos do contestado avançado Benfiquista Lima! E com a vitória, aumentamos a vantagem para seis pontos de distância sobre o segundo classificado! Assim, tivemos direito a um Natal mais feliz e uma passagem de ano abençoada, com a liderança do nosso Benfica!

É claro que, após a passagem da azia pela derrota, os anti-Benfica começaram a delinear uma nova estratégia para desestabilizar o nosso clube! Para além da cantiga sobre a arbitragem, começa-se a falar da pressão insustentável que o fcp exercia sobre o Benfica, por irmos em 1º lugar e a defender-se os jogadores bem expulsos contra o Benfica, por se entender que contra o Benfica as leis do jogo não são para cumprir!

No entanto, o rumo do Benfica não se desviou um milímetro do seu principal objectivo: o Bi-campeonato! E hoje, com a satisfação pelo campeonato conquistado, sinto um prazer enorme nesta passagem em revista! Resta-me agora um último desabafo sobre a segunda metade do campeonato! Caso tenha inspiração para tal! De resto, venha a final da taça da Liga e viva ao Benfica!

Benfica sempre, Sempre Benfica!

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Final Taça da Liga:- Bilhetes Esgotados

.
Bilhetes esgotados

Os bilhetes para a Final da Taça da Liga atribuídos ao SL Benfica encontram-se esgotados. 

O Sport Lisboa e Benfica informa ainda que ainda existem bilhetes à venda nas bilheteiras do estádio Cidade de Coimbra.

O encontro está agendado para as 19h45 desta sexta-feira, 29 de maio
...
Mais uma vez o Colinho dos sócios e simpatizantes do Benfica vai dizer: PRESENTE

Mais uma vez o grito BENFICA vai entoar pelo céu de Coimbra, qual arco-íris de duas cores: vermelho e branco, com eco nos mais diversos pontos do Universo onde houver dois portugueses, pois decerto que, pelo menos,  um deles é benfiquista.

Mais uma vez o Manto Sagrado vai cobrir o Estádio Cidade de Coimbra, mostrando ao mundo que o Benfica está forte, determinado, querendo vencer, desejando ter no nosso Museu mais um troféu, e que bonito que ele é. Estou ansioso por Sexta-Feira, confesso.

Viva o Benfica Sempre
...........

segunda-feira, 25 de maio de 2015

JONAS vítima de assalto.

Há por aí uns coxos que equipam de azul e branco mais uns aziados junta letras e papagaios amestrados que volta e meia vêm com aquela do colinho.
Arrotam os consumidores da amarelinha povoense, sendo o último porta-vós  um tal de Maicon coxo e perneta, que o Glorioso teria sido ajudado pelos árbitros.

Se acaso tal ajuda tivesse sido um facto (facto e não fato...abaixo o acordo...) dizia eu que, se isso tivesse acontecido, melhor era o sabor pela conquista do 34º.título porque, nos últimos 35 anos do reinado do Padre das Antas, muitos foram os campeonatos ganhos (?) por aquelas bandas de Contomil, à custa dos Guimaros, Calheiros, Garridos, Martins dos Santos, Isidoros, Donatos, Proenças e outros conhecidos meliantes da nossa praça, que sopravam nos APINTOS   de maneira infame, contra o nosso Gloriosíssimo Glorioso.

Mas não é disso que  vos quero falar.  Isso do colinho e do manto protector já todos sabemos que  se trata do apoio incondicional dos nossos sócios, adeptos e apoiantes que, em qualquer cidade, vila ou aldeia do nosso País, levaram a equipa ao colo com os seus incitamentos, aplausos e fervor clubístico.


Do que realmente vos quero falar é do roubo de que foi vítima o JONAS. Disso não há nenhum coxo nem sequer um cangado ou paineleiro daquela equipa que usa camisolas cor sim...cor não...cor sim...cornão, que venha repor a verdade que é; JONAS FOI ROUBADO de um merecido troféu e à vista de muitos milhares não só no estádio, como de milhões nas TVs.
Não só marcou mais um golo contra o marítimo que o calheirote de serviço anulou, ou melhor...roubou, como o perneta  lá de cima  ganhou (?) graças à atribuição de golos que não foram marcados por ele.

Do APINTO DOURADO ainda há resquícios!!!

Em Hóquei, fizemos a dobradinha...


Mais um título para o nosso museu Cosme Damião, mais uma alegria para festejar!

Parabéns aos nossos gloriosos atletas do Hóquei do Benfica pela obtenção da 15º taça de Portugal!

******************************************************************************
O SL Benfica conquistou a Taça de Portugal Seniores Masculinos de Hóquei em Patins 2014/2015. Este domingo, 24 de maio, em Vila Franca de Xira, os campeões nacionais venceram (3-0) o Sporting CP, em partida da final da 42ª edição da prova, e garantiram a 15ª Taça de Portugal do seu historial.

Nesta que foi a terceira (1980, 1994 e 2015) vez que SL Benfica e Sporting CP se encontram numa final da Taça de Portugal de Hóquei em Patins, a turma encarnada voltou a superiorizar-se, desta feita com três golos sem resposta. Carlos Nicolia abriu o marcador nos instantes finais da primeira parte, com o SL Benfica a chegar ao intervalo em vantagem. Na etapa complementar, os campeões nacionais aumentaram a diferença por intermédio de João Rodrigues e de Carlos Nicolia, que bisou na final da Taça de Portugal.

Em Vila Franca de Xira, o SL Benfica repetiu o triunfo da temporada passada e destacou-se na lista de vencedores da Taça de Portugal Seniores Masculinos, com 15 conquistas.
“FINAL-4” TAÇA DE PORTUGAL SENIORES MASCULINOS 2014/2015 – VILA FRANCA DE XIRA
23 de maio
OC Barcelos–SL Benfica, 2-3
UD Oliveirense–Sporting CP, 1-4
24 de maio
SL Benfica-Sporting CP, 3-0
Fonte: site da Federação de Patinagem de Portugal

domingo, 24 de maio de 2015

Desabafos - Parte II



«Neste momento sente-se uma alegria imensa! Foi um ano bastante duro para todos nós, tivemos alguns azares, mas a equipa esteve sempre muito unida, trabalhou mais que os outros e foi recompensada no fim. Éramos os campeões em título, dizer que não estávamos preparados para revalidar o título... Só quem está de fora pode pensar assim. Sabíamos do nosso valor e comprovámo-lo» - Rúben Amorim

«Só eu sei quanto os jornalistas me bateram. Não comecei bem, mas com o apoio de todos fui ganhando ritmo e conseguimos este título tão desejado. Na sexta-feira há mais uma final para conquistar. O nosso balneário é uma família». - Jardel

*****************************************************************************

No início era a apreensão que dominava a nação benfiquista! Após as vendas de Rodrigo, André Gomes e Matic em Janeiro de 2014, mas cujas saídas só ocorreram no escaldante Verão do referido ano, vimos ainda Ezequiel Garay, Jan Oblak, Lazar Markovic, Oscar Cardozo e Guilherme Siqueira dizerem adeus à Luz. O Benfica ficou mais pobre, é um facto! 

As entradas ou reforços não correspondiam às nossas expectativas, os maus resultados da pré-época fizeram as delícias da comunicação social, que exultava com a pré-época do Sporting " partimos da pole position" e do Fcp " Isto promete"! E vários jogadores eram classificados como jogadores mediocres e sem qualidade para o plantel do Benfica - Jardel é exemplo disso mesmo! E num ápice, declararam a crise do Benfica, o termo campeão nacional desapareceu do vocabulário dos intervenientes desportivos, e a falência económica e desportiva do Benfica foi declarada! 

Perante tanto barulho, tanto ruído e demagogia, a apreensão, a preocupação geraram poucas esperanças de sucesso no seio de muitos benfiquistas! Confesso que nessa altura remeti-me ao silêncio, mas desejava que o Benfica desse a resposta adequada no local e na hora certa. 

Entretanto chegaram reforços ou jogadores que viriam a revelar-se essenciais para o desenrolar do nosso percurso no campeonato. As chegadas de Talisca, Eliseu, Samaris, Júlio César e Jonas foram desvalorizadas e os veredictos sobre os mesmos traçados: uns eram caros demais, sem qualidade e ofuscavam as nossas pérolas da formação, outros velhos, mancos, gordos e vinham conseguir uma reforma dourada à custa do Benfica!

Mas ao contrário da propalada campanha de desvalorização do campeão Nacional, a verdade é que a equipa correspondeu aos meus desejos. E correspondeu no campo, olhos nos olhos, onze contra onze e dentro das quatro linhas! Assim, iniciamos a época com a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira. E perante essa conquista conquistamos o inédito poker em títulos em Portugal, vencendo todas as competições internas! Mas é claro que as vozes do bota abaixo insurgiram-se, desprezando o valor do nosso adversário! Nada demais neste nosso fute-luso!

Sucede que, apesar de tudo o que foi dito e escrito, entrámos a vencer no campeonato nacional, vitória alcançada no nosso estádio e perante o Paços de Ferreira. E ao fim de cinco jornadas, isolámos-nos na frente da classificação, lugar que nunca mais abandonámos! E conseguimos tal feito graças aos bombas de fora da rua do Eliseu, aos golos do Talisca, com a segurança entre os postes de Júlio César, com o crescimento do grego que não valia os 10 milhões de euros pagos pelo Benfica!

Mas a via sacra do Benfica até ao bi-campeonato não terminou aqui, na 5º Jornada da Liga NOS! Muito há a desabafar... mas hoje fico por aqui!

Mas deixo um recado aos nossos gloriosos jogadores: Sexta - feira só admito a vitória. Outro resultado que não a conquista da taça da Liga, será difícil de digerir e inaceitável!

Benfica sempre, Sempre Benfica!
.......

sábado, 23 de maio de 2015

Benfica vs Marítimo ( Liga Portugal - 34ª Jornada )


Benfica  4  * 1 Marítimo
.
Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve )
Árbitros assistentes: Luís Ramos * Pais António
Árbitro (4.º): Tiago Martins
Observador: Fernando Ferreira
Delegados:Nuno Pedro * Manuel Castelo

Transmissão: BTV1

Constituição das equipas:

BENFICA: - Júlio César; Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Eliseu; Samaris, Pizzi, Salvio, Gaitán; Jonas e Lima.
Suplentes: Paulo Lopes, Lisandro, Derley, Cristante, Mukhtar, Sílvio e Talisca.

Marcaram: Lima, 6m; 62m; Jonas 42m; 83m

MARÍTIMO: - Wellington; Briguel, Bauer, Raul e Rúben Ferreira; João Diogo, Danilo Pereira, Bruno Galllo e Alex Soares; António Xavier e Marega.
Suplentes: Salin, Igor Rossi, Fransergio, Cristian, Ebinho, Eber Bessa e Fábio Abreu.

Marcou: Danilo Pereira, 32m

Mais uma vez o Benfica foi roubado em pleno Estádio da Luz pela equipa de arbitragem, mas especificamente pelo árbitro auxiliar que anulou um golo limpo ao Jonas, que assim ganhava a bola de prata.
Mais uma vez um jogador do Porto foi o beneficiado por esse roubo que fizeram a um jogador do Benfica.
Dia 29 temos mais um jogo para ganhar. Vamos a Coimbra disputar a final da Taça da Liga, contra este mesmo adversário, o Marítimo. É jogo para ganhar e voltar a festejar.

E assim sem as "estrelas" que o Porto tem, acabámos por ganhar o bi-campeonato inteiramente merecido.
A partir de agora a nível de campeonato, vamos já começar a preparar o 35º, a ganhar já na próxima época - é evidente que com Jorge Jesus à frente da equipa.

Viva o Benfica Sempre
.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...