domingo, 27 de fevereiro de 2011

A NOSSA PALAVRA EM VERDADE

Rui Gomes da Silva, vice presidente do Benfica e Administrador da Sad, em entrevista a um jornal dito desportivo, mostrou mais uma vez a sua frontalidade numa defesa intransigente do clube, expressando a sua preocupação, que é afinal, análoga a todos nós.

Sobre a estrutura do Benfica disse:

""Há um trabalho de base, uma estrutura profissionalizada. Esse foi um dos factores que mais me surpreendeu quando cheguei à Direcção do clube. O Benfica viveu, no passado, momentos atribulados, muito por força da feira de vaidades em que se havia transformado. Muitas pessoas queriam aparecer para dar a ideia de que eram elas a mandar, a mandar no futebol.
Entre muitos outros méritos, Luís Filipe Vieira também teve esse, o de criar uma estrutura profissional que cuida de tudo de forma antecipada, programada, planeada. E isso reflecte-se na escolha dos jogadores.
Sabe-se que o Benfica, não apenas o Benfica mas o futebol português, não tem capacidade para manter os jogadores de topo durante muitos anos. Por isso, torna-se necessário potenciar, ao máximo, as suas capacidades em proveito da marca Benfica.
Tem de haver uma permanente busca de jogadores que venham ocupar o lugar de quem sai. Existem, hoje, no Benfica, duas faces de uma (muito boa) moeda: Luís Filipe Vieira - e a sua equipa - a descobrir e a contratar talentos, que possam servir o clube, e Jorge Jesus, que tem rentabilizado esse património de uma forma espectacular.""

Não se coibiu de falar em arbitragens, sobre as quais afirmou:

"" O Benfica foi muito prejudicado em dois jogos: na primeira jornada, em casa, com a Académica e, depois, em Guimarães. Jogos que determinaram, no fundo, aquela que é hoje a diferença pontual entre o Benfica e o primeiro classificado.
E essa diferença foi conseguida graças a erros grosseiros, que saltaram à vista. Tão gritantes que foram confirmados, até, pelo próprio Presidente da arbitragem.
E esses erros de catedral também condicionaram o rendimento dos jogadores, sobretudo o daqueles que se estavam a adaptar. Ultrapassada essa fase de adaptação, os erros de arbitragem continuaram, mas o Benfica também começou a produzir mais.
A verdade é que esses dois jogos, esses seis pontos perdidos, tiveram a ver exclusivamente com erros grosseiros de arbitragem.
Não nos cansaremos de repetir isto, para que as pessoas não o esqueçam e percebam que as actuais contas, na classificação do campeonato, têm por base ajudas a uns e prejuízo para o Benfica. Ajudas a quem vai à nossa frente.""

Rui Gomes da Silva, sem dúvida, aborda sem medos, a verdade dos factos. O Benfica actual é um clube organizado, onde o planeamento é feito com tempo e direccionado a lugares chave na equipa, tendo-se acabado com as compras de paletes de jogadores, que nem em sonhos tinham qualidade para vestir o Manto Sagrado.
Não vou criticar outras direcções do clube, apenas me refiro aquilo que o Benfica é hoje.
E é a partir daqui, não esquecendo o passado recente, a fim de que erros iguais não se voltem a cometer, que temos de nos unir e caminhar juntos sempre ne procura do melhor, da estabilidade, e de condições para que o Clube seja cada vez mais forte e unido.
Falou nas arbitragens e falou bem: Claro que sem esquecer que também não fomos fortes o suficiente, não deixa de ser verdade que as arbitragens nos prejudicaram de forma irreversível no inicio do campeonato.
De tal forma o fizeram, não só em nosso prejuízo, mas também e essencialmente, com as ajudas que foram (têm sido) dadas ao clube que segue em primeiro lugar, que não mais conseguimos recuperar os pontos que nos foram sonegados e que porventura terão um forte “peso” na decisão do futuro campeão nacional.

Revejo-me na íntegra nesta entrevista de Rui Gomes da Silva
VIVA O BENFICA

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários Anónimos - ou outros - menos respeitosos para com este blogue benfiquista e/ou para com outros comentadores, serão eliminados, sem prévio aviso. Obrigado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...