segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Aos Benfiquistas da Madeira

Calhou a triste sorte aos Companheiros que estão na Madeira!

Depois do apelo feito pelo Clube aos Adeptos, para que não compareçam aos desafios que a Equipa dispute “fora de casa”, são os Benfiquistas da “pérola do Atlântico” os primeiros que deverão (terão de) prescindir do supremo gozo de APOIAR no local mais certo os Atletas, contribuindo para a construção de mais uma Vitoria.
Trata-se de uma coincidência e bem infeliz, já que, na sua maioria e sem terem necessidade de fazer viagens de avião, esses Companheiros apenas têm duas oportunidades em cada época para o fazerem.

Muito se tem discutido sobre as possíveis formas de “compensação” que o Glorioso pode (e deve) tentar engendrar no sentido de que os Companheiros que estão mais longe da capital possam vir á Catedral com maior frequência, assistindo a desafios (no local que todos preferimos) e APOIANDO a Equipa como sempre foi a sua vontade expressa nas romarias de que, por agora, sabemos ter de prescindir.
Se não parece muito complicado o estabelecimento de comboios especiais (quando a Liga Nos deixar disputar alguns desafios aos sábados ou domingos á tarde), com “transfers” em autocarro entre a Catedral e S. Apolónia, no caso dos Companheiros da Madeira … não me parece haver solução pragmática.

Sendo assim, é dupla a responsabilidade que lhes recai sobre os ombros: não só eles são os Benfiquistas que maior preço terão de pagar pela afirmação da Nossa Unidade, como lhes cabe dar-nos, a todos, o melhor exemplo Benfiquista.
Mais, ainda, estes Nossos Companheiros ainda têm mais um incentivo negativo que deverão vencer. Se pensarmos bem, com facilidade concluiremos que, sendo normal que Benfiquistas de gema tenham outros clubes pelos quais nutrem simpatias especiais, é obvio que os Madeirenses nutrem especial afecto por (pelo menos) um dos clubes da região e … é um deles que devera ser o primeiro a “provar a receita” preceituada.
Por tudo isto, parece-me da mais elementar justiça que todos os Benfiquistas apelem a estes Nossos Companheiros, para que cumpram este determinante apelo do Glorioso e para que o cumpram com o Benfiquismo que lhes tem de ser reconhecido.

Na minha humilde opinião, considero que o Benfiquismo é mais puro e forte na razão directa do aumento da distancia a Lisboa (é fácil ser-se Benfiquista quando se vive a minutos da Catedral) e, sinceramente, conhecedor que sou do fervor Benfiquista que se vive no arquipélago, estou confiante no exemplo que deles vamos receber.
Estou certo de que os Benfiquistas da Madeira não só vão ficar fora do estádio, como, principalmente, acredito que eles vão dizer “Presente” no APOIO á Equipa e aos Atletas … do lado de fora.
Não sei como será que eles o vão fazer (imagino algumas das soluções possíveis), mas sinto que valerá a pena estar atento ao “carnaval” que eles Nos vão oferecer.
Eu faço-lhes os meus melhores Votos de um enorme sucesso. Deles muito dependerá a ilação que todo o pais poderá retirar deste processo.
Do sucesso dos Companheiros Madeirenses (sucesso contra o qual se vai bater o POLVO e todos os muitos amestrados), hão-de resultar muitas sugestões de APOIO á Equipa, sem entrar no estádio. Do seu sucesso, vamos poder alimentar a Nossa convicção de que, Unidos, podemos reconstruir a “Mola” que já pôs o D. Cor(no)leone a fazer promessas a defuntos. Do seu sucesso, resultará a certeza com que os que elegemos para liderar o Clube vão construir a certeza de poder contar connosco.

O sucesso dos Companheiros Madeirenses vai ser a demonstração cabal de que o Benfica … Somos Nós!

Bem Hajam, Companheiros!

Viva o Benfica!
.
Escrito por: José Albuquerque

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários Anónimos - ou outros - menos respeitosos para com este blogue benfiquista e/ou para com outros comentadores, serão eliminados, sem prévio aviso. Obrigado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...