sábado, 10 de julho de 2010

Menino d`Ouro

JVP, O Menino d!Ouro

João Pinto nasceu de uma relação amorosa que nunca teve assento civil.
Embora o pai tenha assumido a paternidade, nunca com ele coabitou e os encontros eram muito raros. Juntamente com os avós e mãe habitavam num Bairro camarário de seu nome Falcão. (ainda não era Águia).

João foi assim crescendo com os meninos do seu bairro jogando principalmente a bola ate que um dia alguém o convidou para ir para um clube, desses de freguesia, não muito longe de sua casa e de seu nome AGUIAS DA AREOSA, associação dirigida e frequentada maioritariamente por Benfiquistas.

ÁGUIAS DA AREOSA de quem um dia, bastante mais tarde fui sócio, já o João defendia o GLORIOSO e fui por homenagem a ele através de um amigo que conheci e era dirigente.

O ÁGUIAS participava e campeonatos de futebol de salão e o João sendo seu atleta federado começou a dar nas vistas tendo sido contratado pelo Boavista, nao sem que o clube de Contumil se tenha tentado atravessar mas como o Major já impunha algum respeito na altura, rumou mesmo ao Boavista.

O Major foi como um pai para o João como ele varias vezes o referiu e foi pela mão dele ao altar com 16 anos e já com um filho, o Tiago.

O João que já tinha um titulo de campeão do mundo, sub 20, muito mais novo do que os outros jogava e impressionava na primeira equipa do Boavista tendo sido contratado pelo Atlético de Madrid por uma verba muito avultada e onde não se ambientou tendo regressado ao Boavista passado um ano.

Foi novamente campeão do mundo e aí já não havia duvidas, era o fora se serie e naturalmente foi para ao SLB já que o Major preferia negociar com o Benfica de que com os corruptos e o Benfica apesar de o sistema começar a caminhar impante ainda dominava desportivamente e financeiramente o futebol português muito pela grande dedicação e disponibilidade económica do MAIOR BENFIQUISTA QUE CONHECI, O SENHOR JORGE DE BRITO, como eu o tratava.

João Pinto, apesar da sua classe, era mais um numa equipa onde cintilavam muitas e enormes vedetas acabadas de disputar uma final da Taça dos Campeões Europeus, perdida para o Milão e como era natural integrou-se e começou a mostrar os seus grandes dotes.

Nessa altura subterraneamente já o "Polvo", (não era o Paul) nos tinha roubado o campeonato desse ano mas não nos impediu de cilindrar o Boavista com 5-2 na final da Taça de Portugal, num jogo memorável, jogando ainda o nosso Nuno Gomes do outro lado.

Nesse ano tivemos o nosso Verão quente com as rescisões daquele que eu alcunhei a partir dai por piolhoso, o Paulo Sousa, Pacheco e também o João que desapareceu para parte incerta.
Esta situação foi arquitectada pelo megalómano Sousa Cintra, um cafageste que fez de tudo para ganhar dinheiro não olhando a meios nem a fins.
Com João desaparecido não se falava de mais nada em Portugal, a Nação Benfiquista vivia suspensa até que Jorge de Brito foi resgatá-lo a Espanha.
Soube-se depois que a única pessoa que sabia do seu paradeiro, alem do lagarto, era o Major que o convenceu a ficar no GLORIOSO e que telefonou a Jorge de Brito para o ir buscar.
Foi apoteótico o regresso com a chegada ao Estádio da luz a ser aguardada por uma mole imensa.

Jorge de Brito ficou algo abalado com tudo isto, ele que era uma pessoa de valores, e imagino o quanto lhe doeu o GLORIOSO ser golpeado de forma cobarde por um salafrário e mesmo com o mandato longe do fim surgem nas assembleias e na imprensa os patos bravos, conotado com o "jetoito", ávidos de protagonismo que com golpes rasteiros foram desgastando e apoucando a Presidência daquele, que repito, e o Maior Benfiquista que conheci e JORGE DE BRITO, abdicou com as eleições a serem realizadas e Janeiro de 94 e Damásio assume a Presidência e inicia, para mim o período mais negro da Historia do GLORIOSO.

Com a equipa de Jorge de Brito, somo campeões em 93/94, ano da coroação de JOAO PINTO como um dos monstros que passaram pelo GLORIOSO.
Fomos cilindrar a lagartada no Campo Grande, naquele que ficou como um dos jogos mais memoráveis que vi, 3-6, com os 3 primeiros golos, e a reviravolta de João Pinto e que golos, FABULOSOS.
Era outro monstro o Treinador, Toni, esse que depois de empatar na luz com o Bayer Leverkusen, na altura uma das melhores equipas alemãs, disse no fim do jogo: Isto ainda não acabou e foi acabar a Leverkusen com 4-4 num jogo épico e o o João voltou a brilhar a grande altura.

Mas veio a nova época e Damásio, que nada percebia do Benfica, aconselhado por Abílio Rodrigues, despede Toni e contrata Artur Jorge, que desfez uma equipa de nível europeu porque entendia ele, a boa maneira estalinista, que com ele tudo começava de novo.
Da grande equipa restou João Pinto e pouco mais e aqui começa a fase do João Pinto, CAPITÃO e o Benfica sem liderança e com Damásio de braço dado com o Corrupto hipoteca a nossa independência e quase todos os seus valores.

Com o "Polvo" a dominar todos os terrenos havia que achincalhar, humilhar e anular o que o Benfica tinha de melhor dentro dos relvados e esse era o JOÃO.
O João, era agredido, acotovelado, escarrado e ainda era expulso perante uma direcção pusilânime que nem defende-lo e ele e ao Benfica era capaz.

Damásio, acossado pelos Benfiquistas usou o ultimo trunfo: JOÃO PINTO, foi crismado a partir de agora seria o MENINO DE OURO, com contrato VITALICIO.

Na altura num convívio de Benfiquistas tive uma tirada de que nunca mais me esqueci, talvez porque muitos concordaram com ela, disse eu: O DAMÁSIO PÔS O ESTADIO DA LUZ ÀS COSTAS DO JOÃO PINTO, e a catedral antiga era muito pesada, como vocês sabem.

Sem culpa dele, para mim e aqui que começa o declínio do JOÃO, porque com uma direcção frouxa e o João que assume a critica ao "Polvo", aos árbitros, aos adversários e ate dirigentes de outros clubes e uma carga demasiado pesada para o João, que muitas vezes era expulso só por abrir a boca.

Com um salário ao nível dos melhores a Europa, o com poder de funções que nem deviam ser dele e natural o deslumbramento do João, mas mercê da sua falta de rumo, sem liderança, com o clube numa fuga para a frente a todos os níveis, Damásio que penso ser o único Presidente na Historia do Clube com um relatório de contas chumbado, CAI E APRESENTA A DEMISSÃO.

É eleito Vale e Azevedo e logo de princípio acontece o primeiro choque. Vale e Azevedo queria instituir no clube os ordenados por objectivos dos jogadores no clube e nos vindouros. Todos aceitaram excepto João Pinto, o que ate se compreende:

João Pinto, tinha um contrato, dito vitalício, de 385.000 CONTOS (192.500€) por ano mais prémios a dobrar e Vale e Azevedo achava isso incomportável na altura para o clube mas o João não aceitou.

Surgiu mais tarde uma proposta do Corunha de 2.5000.000 CONTOS (12.5M€), foi proposto o negocio ao João Pinto e o João disse que só iria se o Benfica lhe desse 500.000 CONTOS ( 2.5M€) mas Vale recusou e o João continuou.

Naturalmente o João pelos anos, pelo seu currículo e como capitão tinha uma forte autoridade no balneário e havia o grupo dos que alinhavam com o João e os outros, era já publico que o ambiente familiar do João era conturbado, aconteceu um problema grave entre ele e o Nuno Gomes que era grandes amigos, amizade que incluía as famílias de ambos e o problema com o Nuno foi a gota de agua somado de um rendimento do João em campo que diminuía a olhos vistos. E bom lembrar que na sua última época o João marcou 3 golos, muito abaixo da sua fasquia.

Mais forte do que isto foi a opinião do treinador Juup Heinkes que recomendou a dispensa do João, certamente pelos motivos referidos.

Na altura já colaborava com o Benfica o maior empresário da época de nome José Veiga, procurando o Benfica tirar proveito da zanga que ele tinha tido com o corrupto e soube em conversa com um director, porque questionei a presença do Veiga no camarote Presidencial, que ele ate estava a ser muito útil ao Benfica, de quem já era credor de muito dinheiro e que dizia ao Vale para ir resolvendo a vida do clube e não se preocupar com o que ele tinha a receber.

Meus amigos o que sei e que o João foi dispensado, foi levado pelo Veiga ao Sporting, com fez um contrato de 2.000.000 de CONTOS por 4 anos.

Mais tarde surgiram umas denúncias de dinheiros mal parados, a volta de 1.000.000 de contos, que ate meteu tribunal, que o João disse que não recebeu, o Veiga também não, mas no fim parece que Sporting, João e Veiga chegara a acordo e ficaram todos amigos.

AH, parece que o Veiga nunca mais falou daquela coisa da colaboração com o BENFICA.

GOSTO MUITO DO JVP (fui eu que lhe comecei a chamar assim nos estágios e ficou) que foi o menos culpado da forma como certas coisas evoluíram e já o disse muitas vezes:
SE O JOAO TIVESSE ENCARADO A SUA CARREIRA DA FORMA PROFISSIONAL COMO O FIZERAM FIGO E RUI COSTA, TERIA SIDO O MELHOR.

OBRIGADO JVP
.
Escrito por: TRANSMONTANO

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários Anónimos - ou outros - menos respeitosos para com este blogue benfiquista e/ou para com outros comentadores, serão eliminados, sem prévio aviso. Obrigado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...