quarta-feira, 30 de junho de 2010

DI Maria - Venda do Passe.

Caros amigos

Vou-me meter neste assunto, pois não quero que tome aqui a proporção que está a tomar noutros locais.

Antes de passar à minha opinião quero recordar que o que está em discussão são os lucros obtidos com a venda do Di Maria.

Como já li noutros locais gente a pedir a demissão do Presidente porque considera a venda do Di Maria ruinosa para o Benfica, devo também recordar que muitos dos que falam agora são os mesmíssimos personagens que no final do ano passado queriam aceitar a venda do passe do Di Maria por valor zero de lucro para o Benfica.

Outros tem pedido também a cabeça do Presidente e, pasme-se, do Rui Costa porque mentiram aos Benfiquistas... A verdade é quem nem o Presidente mentiu e muito menos o Rui Costa.

Pelo menos não ainda...

Sempre foi dito que só haveria um jogador a sair abaixo da cláusula de rescisão. E foi o que aconteceu até agora... Tudo o resto que agora se discute é baseado nas diatribes da imprensa e da restante comunicação social que nos enche diariamente com imagens que nada tem a ver com a realidade do nosso clube.

O que toda essa gentinha quer é ver-nos desunidos e criar polémicas para que tenham sobre o que escrever agora que a “escreção” foi vergonhosamente eliminada do mundial.

A ideia (que já vem vindo a ser trabalhada à algum tempo por alguns jornais), de que o Benfica ia vender n jogadores por um balúrdio de dinheiro, leva a que agora os mais incautos andem a bradar aos céus que temos uma má gestão, que somos mal geridos e que podemos dizer mal porque o Benfiquista não é nenhum carneiro, etc, etc, etc, etc...

Pois eu digo-vos sem medo nenhum.

Independentemente de discordarmos ou concordarmos e termos o direito a discutir o assunto onde bem nos aprouver (e é bem melhor que este assunto seja discutido na Gloriosaesfera do que noutros locais abertos às opiniões conspurcadas pelo Anti-Benfiquismo primário), o Benfiquista é o principal inimigo do Benfiquista.

Não porque não tenha amor ao clube elevado à décima quarta potência. Não porque não queira o bem do nosso amor de sempre. Não porque não tenha razão quando reclama.

Mas sim porque as emoções levam sempre a melhor sobre o bom do Benfiquista. Porque o amor que sentimos à nossa bandeira (e estou a falar da bandeira do Benfica) tem tanto de irracional como de racional. Porque nos transcende e porque assim sendo, por vezes tolda-nos o discernimento, impedindo-nos de aceitar a opinião dos outros que amam tanto o nosso clube como nós.

Quero com isto dizer que tenho a minha opinião acerca deste negócio do Di Maria. Também acho que os valores poderiam ser outros para o Benfica. Pelo menos aqueles que estariam à cabeça como imediatos para uma transacção que envolvesse um jogador com este nível. Fosse o Di Maria ou outro qualquer.

Mas reconheço que existem condicionalismos relacionados com a altura de realização deste negócio, que me levam a aceitá-lo como o negócio possível ou, se quiserem, aquele que mais facilmente seria aceitável neste momento:

1 - A vontade do jogador e do seu empresário - apesar de já terem havido bons negócios para o Benfica com o Sr. Jorge Mendes a liderar a parte do jogador, considero que está na altura de reequacionar a posição do Benfica em relação a este "tubarão" do futebol. E digo tubarão sem assombramento nenhum pois, olhando atentamente para a convocatória mundialista do Sr. Carlos Queiróz, perceberemos qual a importância actual que este empresário tem no nosso "influenciável" futebol. Não podemos também esquecer que Di Maria quer sair do Benfica para tentar a sua sorte no Real Madrid. E quem lhe pode levar a mal por isso? Um jogador contrariado é sempre uma fonte de problemas. Independentemente de ser um profissional exemplar.

2 - Mourinho não considera Di Maria uma peça fulcral na sua organização a curto prazo - caso José Mourinho assim o entendesse, de certeza que as negociações com o Real teriam sido realizadas num ambiente bem mais favorável ao Benfica. A juventude de Di Maria torna-o num jogador ainda em testes. E à luz do caso Balotelli no Inter, todos podemos perceber que o nível de exigência a que Di Maria irá estar sujeito não irá diminuir. Muito pelo contrário. Quero com isto dizer, que ao contrário do que muitos jornais e afins opinam, Di Maria não deixa de ser uma contratação de risco para o Real Madrid.

3 - O desempenho de Di Maria no mundial - muito escondido, apático e quanto a mim desenquadrado no esquema táctico de Maradona que depende muito da genialidade de Messi, para quem, involuntariamente ou não é encaminhada a quase totalidade do jogo ofensivo da Argentina. Este facto, se bem que não decisivo, veio adicionar à negociação mais um factor negativo para a posição do Benfica, pois se as prestações de Di Maria não desiludem completamente, também não exaltam e defraudam de alguma forma a expectativa que se criou à sua volta.

4 - Por último a conjuntura económica actual - não queiramos tapar o sol com uma peneira. Ninguém no seu devido juízo poderá de alguma forma dissociar os valores que resultaram deste negócio do facto de estarmos neste momento numa conjuntura económica desfavorável. E se todos dizemos que sim e aplaudimos quando o Benfica faz negócios em que incluí verbas a pagar por objectivos, não podemos agora negar que as mesmas sejam incluídas nas negociação, apenas porque passamos a ser a parte vendedora.

Para concluir, quero-vos dizer que acho que o facto de andar tanta gente insatisfeita com o negócio efectuado pelo Benfica, me parece mais uma manifestação cultural bem típica dos Portugueses. Existe ainda uma grande parte da nossa população que vive claramente acima das suas possibilidades, apenas e só para manter durante um curto período espaço de tempo uma aparência de opulência e fausto que não se coaduna com a situação mundial actual.

Nós criticamos duramente os nossos adversários pela sua arrogância, prepotência, cultura de aparências, subserviências e de arranjinhos económica e financeiramente adaptáveis às necessidades do momento.

Não queiramos agora nós "dar uma de quero, posso e mando" e não querermos olhar para todos os pontos apenas porque se acha que o Benfica, por ser a marca que é, não tem de manter numa negociação uma postura aberta e ouvir o que a outra parte nos propõe. Os negócios dependem muito do momento em que são realizados e do número de interessados no produto que se vende e também dos negócios que anteriormente já se tenham realizado com uma determinada entidade.

Hoje em dia, no mundo dos negócios a posição de quem vende é sempre uma posição mais frágil do que a de quem compra, porque infelizmente ao vendermos não temos a certeza de irmos receber como foi acordado. Tudo isto tem de ser equacionado. Muitos dos que reclamam, fazem-no sem sequer ponderar estes pontos de vista. Fazem-no porque tem o coração ao pé da boca e porque o amor imenso que sentem ao nosso Glorioso, os impede de racionalizar as suas opiniões.

Veremos o que o futuro reserva ao nosso Benfica com esta direcção ao leme. Nós estamos atentos. Queremos o melhor para o Benfica e devemos confiar que quem nos dirige defenderá, na medida do possível e sempre que possível, com intransigência os interesses do maior clube do mundo.

Entrar numa fase de histeria colectiva apenas porque o Benfica não ganhou 20 milhões num negócio mas sim 15, parece-me fazer o jogo do inimigo e criar divisões estapafúrdias onde deveria haver uma forte união. E eu não confundo união com unanimismo pois o nosso Benfica é e sempre será o clube mais democrático de Portugal.

Um abraço a todos e agora já podem desancar neste pobre escriba, que eu tenho as costas largas e também preciso de ouvir a opinião dos outros.

VIVA O BENFICA PORRA!”
.
Escrito por: nunomaf

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários Anónimos - ou outros - menos respeitosos para com este blogue benfiquista e/ou para com outros comentadores, serão eliminados, sem prévio aviso. Obrigado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...