quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Reestruturação Empresarial

Reestruturação Empresarial do Grupo Benfica
Conclusão
.
No momento em que escrevo estas linhas, não sei nem qual será o resultado da AG, nem sequer se lá vou poder estar (não pude!) e isto porque OBELOVOAR decidiu que o tema é demasiado importante para se prestar a “campanhas eleitorais”.

Aliás, se fizerem o favor de reler tudo o que escrevi, confirmarão que, em momento algum, eu fiz a apologia desta Proposta: desta ou de outra qualquer … que não apareceu (adiar a reestruturação, sobretudo para “as calendas”, isso não pode usar o nome de proposta!).

O que eu tentei fazer, foram as seguintes coisas:
(1) alertar para a “(in)fertilidade” do campo que íamos percorrer,
(2) alertar para a “boatada” (a perfídia nojenta habitual) que os vários “aborrecer, aborrecer”, os vários “notáveis e despeitados”, iriam produzir (foram poucos, surpreendentemente) e, finalmente,
(3) prevenir a desunião que alguns falsos argumentos poderia criar, combatendo-os em linguagem fluente.

E foi assim que, depois de introduzir o tema, esclarecemos o que (não) é a tal de “falência técnica” e porque é que a Catedral (não) é o “busílis” da questão.
Acima de tudo, tentei demonstrar que (4) este era um assunto impossível de votar (ou, até mesmo, de criticar) sem um estudo prévio, desadequado para uma AG (imperativa, face aos actuais Estatutos), bem como (5) as razões “de pele” pelas quais o que ia estar em causa era, uma vez mais, um voto de confiança aos Corpos Sociais.

Foi isto que tentei fazer, depois que o AL aceitou o desafio (Obrigado, Companheiro) e, confesso, sinto que valeu a pena.
Valeu o esforço, porque desapareceram alguns “fantasmas”, se dissiparam dúvidas e se desmontaram argumentos sem conteúdo (por melhor encadernados que estivessem).

Agora e independentemente do que a AG vier a decidir (já decidiu!), já só falta explicar porque é que eu considero a reestruturação como necessária e inadiável, uma operação que concentrasse, ao máximo, as actividades empresariais do Glorioso e que o fizesse … com a Benfica Futebol SAD como centro (o “coração”).

Já sabem que eu só vejo o Benfica como um todo e de todas as suas partes (actuais e futuras). Por isso, não pode ser surpresa que eu prefira que essa “concentração” das partes seja feita no ponto onde mais valor acrescenta: na Empresa representativa do nosso “core business”!
O tempo em que o Glorioso teve de “vender” alguns dos seus “filhos” (a formação, por exemplo), esse … já foi, graças ao Benfiquismo dos mais de 200 mil Sócios, à paixão dos 14 milhões de Adeptos e à dedicação dos Corpos Sociais.

A força, a dimensão e a reafirmada universalidade do Benfica de hoje e de amanhã (infraestruturas, número de Sócios e de Casas, BenficaTV, Mística e “O Benfica”, seguros, viagens, serviços financeiros, clínica e, em breve, direitos televisivos), colocam-nos a salvo do POLVO, por mais que ele consiga, ainda e por mais algum tempo, “garrotear” a Verdade Desportiva.

Sendo assim (livres dos “riscos” do passado), onde devemos concentrar as nossas “forças” (a solidez financeira e patrimonial, a capacidade de financiamento, as economias de escala na gestão, etc.)?

Na SAD, obviamente!

Na SAD, cujos custos salariais podem vir a ser limitados (pela UEFA/FIFA) como percentagem das receitas.
Na SAD que, por contratar mais serviços a terceiros, mais próxima está de optimizar os recursos disponíveis.
Na SAD que o Benfica detém em perfeito controlo e na qual tantos de nós têm uma parte do seu sangue (não, aquilo não são “Acções”) e que, como tal, não tem/têm preço.
Na SAD que tem sido gerida com surpreendente audácia, inovação constante e confirmado brilhantismo, com a inestimável participação de um … Sportinguista e,
na SAD que preparou, cuidadosamente, uma operação de reestruturação que, até, pode não ser a ideal, mas é, seguramente, uma proposta válida!

No meio destes textos, o nosso General recordou-nos de algo que nos desagrada a todos, profundamente: o POLVO, através do olibeiredo, também é Accionista da SAD (agora já é muito mais pequeno que antes).

Tem razão o General? É claro que tem!

Mas … como no caso do copo que está pelo meio, eu pergunto-vos: o que quer o olibeira e de que necessita ele, cada vez mais? Qual é o único “credo” do animal?

Money, money, Money, o que, cada dia mais, quer dizer … Benfica, BENFICA, BENFICA!
Quem com ferros mata … (não era lindo ver o POLVO morrer de “morte macaca”, sufocado no próprio veneno?)

Entretanto, a esmagadora maioria dos Sócios presentes na AG já decidiu, está decidido!

Viva OBELOVOARDAAGUIA!

Viva o Benfica!
.......
Escrito por: José Albuquerque
............
Off Topic: Votação da AG: A proposta teve 2307 votos a favor, 171 abstenções e 283 votos contra.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todos os comentários Anónimos - ou outros - menos respeitosos para com este blogue benfiquista e/ou para com outros comentadores, serão eliminados, sem prévio aviso. Obrigado.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...